HOME    |    EMPRESA    |    LABORATÓRIOS    |    EXPERIMENTAÇÃO AGRÍCOLA    |    INFORMATIVOS    |    COTAÇÕES    |    LINKS   |    CONTATO

Get Adobe Flash player




 
 
 
 
 
 
 
Método para a coleta de amostras de solo e/ou raízes para análise de nematóides

 
A seguir, estão descritos os passos para a coleta de amostras de solo e/ou raízes para culturas anuais, perenes ou em viveiros de mudas. Siga-os corretamente para que sua amostragem seja representativa e, sempre que precisar, USE O BOM SENSO.
 
- Coletar as amostras de solo com a umidade natural, E EVITAR de todo modo que elas cheguem secas ao laboratório. Não esquecer que nematóides não sobrevivem em solo e raízes secos.
 
- Equipamentos necessários: enxadão, trado ou enxada, ou outro instrumento semelhante; saquinhos plásticos, um balde, etiquetas, caneta, ficha de campo.
 
- Amostrar a área, caminhando em ziguezague e abrindo o solo em forma de V, da superfície até 25 a 30 cm de profundidade (Figura 1), e coletando uma camada deste solo, que deve ser colocada no balde ou diretamente no saquinho.
 
- CULTURAS ANUAIS: (soja, algodão, milho, olerícolas, etc.): tomar NO MÍNIMO 10 SUBAMOSTRAS por hectare. Coletar na zona das raízes das plantas, incluindo, sempre que possível, raízes na amostra.
 
- CULTURAS PERENES: (café, citros, figo, etc.) coletar NO MÍNIMO 10 SUBAMOSTRAS por hectare, nos quadrantes (Norte, Sul, Leste, Oeste), na projeção da copa, incluindo raízes, se possível.
 
- Amostrar as zonas, focos ou reboleiras que apresentam fortes sintomas, sintomas médios e as áreas sem sintomas (Figura 2).
 
- VIVEIROS DE MUDAS (café, citros, seringueira, essências florestais, etc.): coletar aleatoriamente, no mínimo 5 mudinhas para cada lote de 1.000 mudas, tomando parte do solo e radicelas de cada muda( sem precisar destruí-las) e ir colocando no balde.
 
- As subamostras de solo e/ou radicelas coletadas no balde (itens 4, 5, 6 e 7) devem ser muito bem misturadas, tomando-se uma amostra composta de, no mínimo, 500 gramas de solo e em torno de 10 gramas de radicelas. Logo, deve-se coletar UMA AMOSTRA COMPOSTA POR HECTARE.
 
- Observar que estas são apenas recomendações mínimas, e para cada caso em particular, recomenda-se USAR O BOM SENSO na hora da coleta de amostras e, caso haja necessidade, coletar maior número de subamostras.
 
FIGURA 1. Profundidade e modo de coleta de amostra de solo com enxadão
 
FIGURA 2. Modo de coletar subamostras de solo e raízes, andando em ziguezague, na área ou talhão com culturas anuais (ou perenes) e com área apresentando sintomas
 
 
- Embalar em sacos plásticos fechados para evitar perda de umidade, e devidamente identificados (local, data da coleta, proprietário, cultura e outros dados que julgar necessários)
 
- Preencher, a ficha de campo, segundo as recomendações de nosso laboratório (salvar e imprimir ficha de campo), não esquecendo de fazer o croqui da(s) área(s) amostrada(s).
 
- Enviar as amostras o quanto antes, para o laboratório, e não deixá-las expostas ao sol direto, ou mantê-las em local onde possam se aquecer demasiadamente. Se precisar, pode-se armazenar por algum tempo na parte inferior de uma geladeira comum (ex.: gaveta de verduras).
 
 




 
© 2010.2016 Agrolab. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento e Hospedagem